[sapl-dev] Futuro do SAPL

Luciano De Fazio lucianodefazio em gmail.com
Quarta Maio 11 13:21:10 BRT 2011


Prezado Morale,

Primeiramente, gostaria de reafirmar minha admiração e respeito pelo seu
trabalho, que tantas vezes nos auxiliou e também a centenas de outras casas
legislativas.

Ao contrário do que externou, possuo plenos conhecimentos de suas funções na
manutenção e evolução do SAPL, que desempenha, aliás, de forma elogiável.

Tenho a nítida impressão de que o colega "pegou o bonde andando". Sugiro que
dê uma olhada no histórico desta lista, no tópico "Melhorias no módulo
Parlamentar - SAPL 2.3".

Quando abri este novo tópico - "Futuro do SAPL",  e me referi a eventual
Mantenedor da comunidade, fazia alusão ao possível gerenciamento das versões
no repositório SVN, e que este agente poderia atuar como "beta-tester" na
homologação do software antes de distribuí-lo à comunidade a  título de
"versão estável". Na verdade, minha intenção foi a de tentar estimular os
membros da comunidade, para uma maior participação no desenvolvimento do
produto.

É lógico que a opinião de apenas um membro da comunidade nunca deve
prevalecer isoladamente, mas o debate é sempre saudável. O que deve
prevalecer é o consenso, em qualquer situação.

Se refletir, notará que sua resposta fora um tanto quanto desproporcional.
Principalmente, quando insinua que alguém possa ter a pretensão de se
apropriar do SAPL.

Na verdade, quando o Interlegis licenciou o SAPL como GNU GPL, optou por
proporcionar aos usuários as seguintes liberdades:

1 - A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito (liberdade
nº 0)

2 - A liberdade de estudar como o programa funciona e adaptá-lo para as suas
necessidades (liberdade nº 1). O acesso ao código-fonte é um pré-requisito
para esta liberdade.

3 - A liberdade de redistribuir cópias de modo que você possa ajudar ao seu
próximo (liberdade nº 2).

4 - A liberdade de aperfeiçoar o programa, e liberar os seus
aperfeiçoamentos, de modo que toda a comunidade se beneficie deles
(liberdade nº 3). O acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta
liberdade.

Com a garantia destas liberdades, a GPL permite que os programas sejam
distribuídos e reaproveitados, mantendo, porém, os direitos do autor por
forma a não permitir que essa informação seja usada de uma maneira que
limite as liberdades originais. A licença não permite, por exemplo, que o
código seja apoderado por outra pessoa, ou que sejam impostos sobre ele
restrições que impeçam que seja distribuído da mesma maneira que foi
adquirido.

Causa-me estranheza seu posicionamento, já que eu, pessoalmente, nunca tive
a intenção de fazer um um "fork" do SAPL, pois todas as minha implementações
são enviadas ao repositório SVN, para colaboração com o Interlegis e
compartilhamento com a comunidade legislativa, sempre de forma espontânea.

Se levarmos ao pé da letra, o Portal Modelo seria um fork do Plone? É bem
provável, pois a versão 2.5.6 do Plone sequer existe no repositório oficial
do produto.

É sempre bom lembrar que vocês do Interlegis, como proprietários do
repositório, podem simplesmente reverter qualquer commit, como bem explicou
o Jean, descartando códigos enviado por um colaborador, assim como fizeram
em outras oportunidades quando descartaram minhas correções na geração dos
relatórios PDF.

Os exemplos abaixo não representam quebra de código?

http://sapl.cmcarneirinho.mg.gov.br/sapl/relatorios/pdf_materia_preparar_pysc?lst_tip_materia=1&lst_tip_autor=&hdn_txt_autor=&rad_tramitando=&txt_numero=&hdn_cod_autor=&txt_relator=&lst_cod_partido=&txt_ano=&txt_assunto=&lst_status=

http://sapl.camaraitapolis.sp.gov.br/relatorios/pdf_materia_preparar_pysc?lst_tip_materia=&lst_tip_autor=&hdn_txt_autor=&rad_tramitando=&txt_numero=&hdn_cod_autor=&txt_relator=&lst_cod_partido=&txt_ano=2011&txt_assunto=&lst_status=

Em funcionamento:

http://sapl.camaracatanduva.sp.gov.br/relatorios/pdf_materia_preparar_pysc?lst_tip_materia=10&lst_tip_autor=&hdn_txt_autor=&rad_tramitando=&txt_numero=&hdn_cod_autor=&txt_relator=&lst_cod_partido=&txt_ano=2011&txt_assunto=&lst_status=

Talvez eu precise rever meus conceitos.

Mas vamos ao que realmente interessa:

Se revisar a lista Gitec e o timeline do repositório, verá que a adição do
editor HTML, ocorreu principalmente para proporcionar melhor formatação de
texto nos Expedientes da Sessão Plenária. A biografia do parlamentar foi um
desdobramento.

Na mensagem de anúncio da biografia, deixei clara a necessidade de criação
de um novo campo na tabela parlamentar. Pressupondo que quem atualiza o SAPL
com "svn up" possua o mínimo de conhecimento em administração de servidores
Linux.

Já tínhamos vislumbrado a idéia de substituir o editor XML das proposições
pelo editor HTML, aliás conforme você mesmo sugeriu, mas isso ainda depende
de estudos sobre o impacto para os usuários frente ás versões já instaladas.

O editor incorporado (CKEditor) também pode trabalhar com templates, ou
seja, modelos pré-estabelecidos de documentos, razão pela qual é viável sua
utilização.

Lembro, mais uma vez, que vocês poderiam simplesmente descartar a parte da
biografia do parlamentar no branch do SAPL 2.3, da mesma forma como já
fizeram em outras oportunidades, mantendo apenas o editor HTML na Sessão
Plenária e também para eventual uso futuro.

De toda forma, minha contribuição está no repositório, para que façam o que
melhor lhes aprouver.

[]'s

Luciano De Fázio
-------------- Próxima Parte ----------
Um anexo em HTML foi limpo...
URL: http://listas.interlegis.gov.br/pipermail/sapl-dev/attachments/20110511/ccfecf07/attachment.htm 


Mais detalhes sobre a lista de discussão SAPL-dev