[interlegis] Querem acabar com o Interlegis

Patrícia Gatti Raulino gatti em interlegis.gov.br
Quinta Julho 9 13:10:08 BRT 2009


 Oi Luis Fernando,

Concordo com Jean, lendo esta matéria do Correio Braziliense, inclusive pelo
link que postou, o enfoque está justamente para o ILB, e não para o
Interlegis, imagino que houve erro de revisão do jornal ao citar a sigla,
pois o texto que expuseram deixa bem claro os órgãos que pretenderam
divulgar .

"A bancada de senadores petistas propôs, ainda, a redução progressiva de até
> 60% do teto com despesas relativas a pessoal e sugeriu a extinção do
> Instituto Legislativo Brasileiro (Interlegis) e da Universidade do
> Legislativo Brasileiro (Unilegis), organismos do Senado, além de um
> enxugamento do serviço de atendimento médico da Casa."


Patrícia

2009/7/9 Jean Rodrigo Ferri <jeanferri em interlegis.gov.br>

> luis fernando machado escreveu:
> > Segue essa matéria, com desejo de acabar com o Interlegis, conforme nota
> dos
> > Senadores pertencentes ao Partido dos Trabalhadores - PT.  Dê sua
> opinião, a
> > reportagem já está aqui postada, se quiser:
> >
> > Acesse o link:
> >
> http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia182/2009/07/08/politica,i=124881/BANCADA+DO+PT+DECIDE+MANTER+PEDIDO+LICENCA+DE+SARNEY.shtml
> >
> > Bancada do PT decide manter pedido licença de Sarney
> >
> > Agência Estado
> >
> > Publicação: 08/07/2009 17:20
> >
> > A bancada do PT no Senado decidiu hoje manter a posição anunciada na
> semana
> > passada: não apoiará o presidente da Casa, José Sarney, mas também não o
> > abandonará. Em nota aprovada durante reunião que terminou no meio da
> tarde,
> > os senadores petistas comentam que, durante toda a discussão sobre a
> crise
> > no Senado, sugeriram que, "num gesto de grandeza e de garantia à
> > credibilidade das investigações", Sarney se licenciasse temporariamente
> do
> > cargo. Admitem, no entanto, que a licença é uma decisão a ser tomada
> somente
> > pelo senador.
> >
> > Apesar dos apelos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da
> > ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, para que o PT declarasse
> apoio
> > a Sarney, os senadores do partido não recuaram, mas tentaram encontrar
> uma
> > saída honrosa para a saia-justa. Em nota divulgada após a reunião, os
> > senadores petistas defendem uma "reforma profunda" para corrigir as
> > distorções na administração do Senado e a criação de uma comissão
> > suprapartidária para debater mudanças na Casa - alvo de uma sequência de
> > denúncias de irregularidades - por meio de uma lei de responsabilidade
> > administrativa e financeira, a partir de um projeto da bancada. Esse
> projeto
> > vem sendo discutido pelo PT, sob a coordenação do senador Tião Viana
> (AC).
> >
> > A bancada de senadores petistas propôs, ainda, a redução progressiva de
> até
> > 60% do teto com despesas relativas a pessoal e sugeriu a extinção do
> > Instituto Legislativo Brasileiro (Interlegis) e da Universidade do
> > Legislativo Brasileiro (Unilegis), organismos do Senado, além de um
> > enxugamento do serviço de atendimento médico da Casa. Da lista de
> propostas
> > apresentadas pelos senadores do PT constam ainda a extinção do pagamento
> de
> > adicional salarial a funcionários participantes de Conselhos ou comissões
> > especiais do Congresso, além da redistribuição das atribuições da
> Primeira
> > Secretaria do Senado, que funciona como uma espécie de prefeitura da
> Casa,
> > entre os demais integrantes da Mesa Diretora.
> >
> > O líder do PT no Senado, Aloizio Mercadante (SP), afirmou que o partido
> > nunca mudou de posição em relação às denúncias de irregularidades na Casa
> e
> > a situação de Sarney na presidência: "Formalizamos por escrito o que já
> > dissemos várias vezes: a posição da bancada é pelo afastamento temporário
> do
> > presidente do Senado, mas esta é uma decisão que cabe única e
> exclusivamente
> > a ele.
> >
> > A nota dos senadores destaca ainda que é preciso ampliar as investigações
> no
> > Senado, identificando "todos os possíveis responsáveis" pelas
> > irregularidades. Na opinião dos senadores, porém, o Tribunal de Contas da
> > União (TCU), o Ministério Público e a Polícia Federal e a Mesa Diretora
> do
> > Senado já estão tomando diversas medidas para superar a crise.
> >
> > luis fernando machado <neranto em gmail.com>
>
> Olá Luis,
>
> Acho que essa sua mensagem é muito importante e deve ser debatida não só
> na lista GIAL mas também na lista Interlegis.
>
> Há algo estranho nessa matéria pois está referenciado "Instituto
> Legislativo Brasileiro (Interlegis)". Me parece que quem escreveu não
> sabe muito bem o que está escrevendo ou não conhece o Interlegis.
>
> Alguém mais tem informações sobre isso?
>
> Abraço,
>
> --
> Jean Ferri
> Analista de Sistemas
> Programa Interlegis - Brasília (DF)
> *Esta mensagem foi enviada pelo software livre Mozilla Thunderbird*
> --
> Site da Comunidade Interlegis
> http://www.interlegis.gov.br
>
> Para pesquisar o histórico da lista visite:
> http://colab.interlegis.gov.br/wiki/PesquisaListas
>
> Para administrar sua conta visite:
> http://listas.interlegis.gov.br/mailman/listinfo/interlegis
>
-------------- Próxima Parte ----------
Um anexo em HTML foi limpo...
URL: http://listas.interlegis.gov.br/mailman/private/interlegis/attachments/20090709/72a696a2/attachment.htm 


Mais detalhes sobre a lista de discussão Interlegis