[gitec] [gial] Estônia aponta para o futuro Estado virtual

Jean Rodrigo Ferri jeanferri em interlegis.gov.br
Quinta Agosto 8 16:41:56 BRT 2013


Realmente, esse é o caminho, só não pode usar Microsoft Windows e demais 
softwares proprietários. Por que?

http://www.youtube.com/watch?v=inx8kii9mYY

http://www.crn.com/news/security/240158220/outlook-bleak-microsoft-leaves-backdoor-open-for-nsa.htm

http://www.washingtonsblog.com/2013/06/microsoft-programmed-in-nsa-backdoor-in-windows-by-1999.html

Órgãos públicos precisam usar softwares abertos e livres, principalmente 
por serem auditáveis, é uma questão de soberania...

Abraço,

Jean Ferri


Em 08-08-2013 08:55, Giovana Rodrigues escreveu:
> **Caras/os Colegas,
>
> Eis uma notícia que nos faz pensar na necessidade de acelerarmos a
> informatização/virtualização de nossas casas legislativas, inclusive com
> ampliação da participação popular em processos decisórios e da segurança na
> rede.
> Um abraço,
>
> Giovana
>
> ______
> **
> *Estônia aponta para o futuro Estado virtual*
>
>
> A pequena Estônia, um dos menores países da Europa, pode servir de modelo
> de como seria um país completamente movido pela tecnologia no século XXI.
> Com apenas 1,29 milhão de habitantes, a Estônia é famosa por ter um número
> desproporcional de novas empresas de tecnologia — lá nasceu o Skype. Mas
> seu vínculo com a tecnologia vai muito além dos jovens empresários
> desenvolvendo aplicativos para iPhones. Ela está inserida na própria
> estrutura do Estado.
>
> 0 presidente Toomas Hendrik Ilves, que aprendeu a programar aos 13 anos, é
> um defensor apaixonado da tecnologia. As reuniões de ministros são
> eletrônicas desde 2000. Na eleição parlamentar de 2011, 24,3% dos eleitores
> optaram por votar pela internet. (Págs. 1 e A13)
>
> (Jornal *Valor Econômico*, hoje)


Mais detalhes sobre a lista de discussão GITEC