[gitec] ABC do Amarelinho

Paulo Fernandes de Souza Jr pfsj at senado.gov.br
Fri Aug 4 11:02:43 BRT 2006


Salve All,

   Esta semana, durante um congresso de Gestão do Conhecimento do qual
participei, pude ter contato com outras experiências em comunidades de
prática que estão se formando pelo país. Uma delas é da FUNDAP, do
Governo de São Paulo. Um dos membros da comunidade criou este cordéu ,
em homenagem ao trabalho feito:

ABC do Amarelinho
por Célio Coelho (Patativa do EAD)


                         Meu povo vem chegando,
                       Vai juntando mais pra cá,
                       Que eu soube duma história
                        Que agora vou contar.  

                       É de um povo muito porreta
                          Que adora trabalhar.
                    Enquanto trabalha, vai estudando
                        Que é pra se aprimorar.

                       Eles trabalham pro Estado,
                       Fazendo compra e contrato,
                        Conferindo o que pagar,
                       Pois não basta o acertado,
                       Ainda tem que fiscalizar!

                      Vivia cada um em seu canto,
                     Com as dificuldades a lidar. 
                       Até que um dia resolveram
                          Esse trem melhorar.

                        - Juntar toda essa gente
                         Que trabalha separado,
                     Pra melhorar o que eles fazem,
                       E aprender mais um bocado!
                     Porque com o dinheiro do povo
                        Tem que sabe do riscado,
                       Quando gasta bem gastado,
                       Diz que foi bem aplicado.


                      Chamaram um povo entendido,
                        De cada canto da razão.
                         Veio moça, veio moço, 
                           e até um rapagão.

                        E a pensar eles ficaram,
                   Pois a dificuldade que encontraram
                       Era juntar todo esse povo,
                     Que em muitos cantos moravam 
                    e em outros tantos trabalhavam.

                      Até que uma moça bem ladina,
                         Matutou lá em surdina,
                        Sem firula nem confete,
                       Que pra juntar essa moçada
                         Só usando a Internet:

                         - O povo faz um curso
                          Sem sair da cidade.
                         E pra dar mais emoção,
                          cada um põe opinião,
                          numa tal comunidade.

                       - Cada módulo um assunto,
                       Tem apostila e exercício,
                         Só não tem professor 
                        Pra cuidar desse ofício!

                     - É que juntando tanta gente,
                         todos tão inteligente,
                         professor carece não:
                         Um fala outro retruca,
                       e de tanto queimar a cuca,
                         vai surgindo a razão.

                      - Mas se a coisa ficar feia,
                      E da solução não tem pista,
                        E ninguém tiver acordo,
                       Vai falar a especialista!

                        E assim eles trabalharam
                        com amor e com carinho,
                        e o que acontece depois
                        tá no ABC do amarelinho.

                           Veio gente ajudar,
                       Mais trabalho do que mão,
                         Um lia outro escrevia
                         Pra apurar a redação.

                        Veio até moça prendada,
                         Que de curso entendia,
                        Pois diz que era formada
                          Numa tal Pedagogia!

                          E foi tomando jeito,
                         Com perfeição em tudo.
                       Teve até Doutor de Direito
                         Pra falar do conteúdo!

                          Teve quem trabalhava
                          Até com computação,
                         Que era pra dar forma
                           Em tamanha emoção.

                           E agora que contei
                         Como tudo foi criado,
                        Vou falar de quem entrou
                        Nesse mundo encantado!!!

                        Dessa moça eu me lembro,
                       que matuta e inteligente!
                          educada e agradável,
                       e no Senhor muito crente!

                      Foi chegando bem quietinha,
                         Explorando a novidade,
                        E ao clicar na janelinha
                         Entrou pra Comunidade.

                         Este dia foi marcante,
                        Nunca mais ela esqueceu.
                     - Quanto assunto interessante,
                         Quanta gente como eu!

                          Cada dia que passava
                        Muito mais ela estudava,
                        E a cada amigo que fazia
                          Ensinava e aprendia!

                         Cada vez que escrevia
                       Punha amor no que falava.
                     Se um problema alguem vivia, 
                        Com certeza ela ajudava!

                           E o medo do começo
                       Logo, logo, foi-se embora.
                       Hoje acessa esse endereço,
                       sem brincar, a toda hora!

                        E a cada nova mensagem,
                       vou contar pro meu Brasil,
                      crescia em força e coragem,
                        hoje somam mais de mil!

                         Em letras foi formada,
                        E já foi do magistério.
                       Mas seu nome eu não conto 
                        Vai ficar este mistério.

                         Em lei ela é versada,
                         Muita coisa escreveu,
                         Cada um que ali chegou
                        Em seus braços recebeu.

                         Nos ensina o Direito 
                        Dentro da administração.
                       Quem discorda tem respeito
                           Pela sua opinião.

                        Mas eu penso, meu amigo
                         Preste muita atenção,
                         Que no fundo ela gosta
                          É de boa discussão.

                         Seu menino não é briga
                      Do que estou falando agora,
                        É de idéia e pensamento,
                     Sei que é isso que ela adora!

                         No Estado fez história
                      Defendendo o que é direito,
                        Construindo a trajetória
                        Professora de respeito!

                          Em Franca floresceu
                         Essa nossa Maestrina,
                       Não sou eu quem vai falar
                        Qual o nome da menina. 

                         E o povo foi chegando
                          Meio que ressabiado
                        Mas foi pegando o jeito
                         Desse novo aprendizado


                        Deste Estado tão imenso
                           E de cada unidade,
                          Ingressou ativamente
                         Na tal da Comunidade.

                        Veio gente que trabalha
                          na Saúde e hospital,
                         na Fazenda e na Sabesp
                           E até em Tribunal.

                          Da PM vieram muitos,
                         da Civil também veio,
                        E por falar em Segurança
                         muita gente desse meio

                         Autarquias, Fundações,
                         De toda especialidade,
                          Não podendo esquecer
                         Gente da Universidade.

                          De Prudente, Taubaté
                        Ribeirão e Sertãozinho,
                           Campinas, Sorocaba
                          Avaré e Pinhalzinho.

                       Tanto lugar, tanta gente,
                         E de muita ocupação, 
                      Mas não é só para o batente
                         Que se tem a vocação.

                       Tem escritor e tem poeta,
                        Tem atleta e esportista
                        De futebol e bicicleta.
                          Ali só tem artista!

                        Cozinheira de mão cheia,
                        Tem cantor e tecladista
                         Só não tem mulher feia
                      Pra casar com o repentista!

                          O talento se revela,
                           A quase todo hora,
                      Pois a fraternidade é tanta
                          Que a emoção aflora


                        Por aqui eu vou ficando,
                        Me despeço do meu povo,
                         Quem sabe Deus permita
                     A gente se encontrar de novo.

                       Mas não pensem que acabou,
                       Essa história não termina,
                      Pois aprender é como o amor
                         Em coração de menina!

                      Passa o dia , passa o tempo
                         sua alma não esquece,
                            Assim é o saber:
                      Quem aprende se engrandece. 

                      E o saber que foi surgindo,
                        Dessa troca de energia,
                         É devido a todo aquele
                         Que ali passou um dia.

                        Em cada palavra escrita,
                      Em cada resposta que se dava
                       O saber de todos crescia,
                         Em comunhão se formava

                        Mas a lição derradeira,
                          A mais significante,
                       É que o ensino a distância
                       Não precisa ser distante!

                        Esta foi minha homenagem
                        Pra essa gente valorosa.
                        Contando de sua alegria,
                      Registrando em verso e prosa



Mais detalhes sobre a lista de discussão Gitec