[gicom] Uso do Facebook por vereadores

julianasoares julianasoares em interlegis.leg.br
TerÁa Outubro 22 09:54:44 BRST 2013



Fabiano, 

a quest√£o de coment√°rios ruins sempre existir√°. 

Mas usar o facebook como mais um meio de comunicação unilateral, onde
apenas o vereador tem o poder da fala, é um grande erro. Quando uma
empresa, uma institui√ß√£o, ou pessoa p√ļblica aceita participar das redes
sociais, ela aceita fazer parte de uma rede, ela não é superior a
ninguém nessa rede. 

O engajamento do p√ļblico nas redes sociais √© pr√©-requisito para o
sucesso. 

Para que uma página ganhe destaque no face, ela precisa ter um bom nível
de engajamento, ou seja: coment√°rios, curtir e compartilhamentos. Sem
isso, sua página não vai aparecer no feed de notícias de seus
seguidores. O que fará com que todo seu esforço de comunicação seja em
v√£o. 

Todas as institui√ß√Ķes e figuras p√ļblicas sofrem com os comet√°rios
maldosos, chingamentos e tudo mais. 

E todos est√£o buscando a melhor forma de se trabalhar. 

Conversando com os gerentes de grandes perfis como TV Senado, Governo do
Distrito Federal, STJ e de alguns Senadores, ficou claro que é
extremamente necessário haver um política de uso onde será explicitada
como o f√£ daquela p√°gina poder√° utiliz√°-la. 

Geralmente √© dito que a opini√£o do p√ļblico √© muito importante e ser√°
respeitada, porém, a página também deve ser respeitada: xingamentos e
ameças serão excluídos... etc. 

Entrando nas página você pode acessar essa política de uso. 

E o facebook tem uma ferramenta que bloqueia automaticamente palavras
cadastradas. 

Mas √© importante lembrar: em uma √©poca de redes sociais, manifesta√ß√Ķes e
tudo mais, chegou a hora de perceber que a comunicação unilateral já
morreu. A globo, o gigante da comunica√ß√£o unilateral das √ļltimas
décadas, já percebeu isso. Mas percebeu tarde e está tentando contornar
a situação. 

De nada adiantar√° estar nas redes sociais e n√£o aceitar ouvir o que seu
p√ļblico tem a dizer. 

Em 18-10-2013 17:53, Fabiano de Almeida escreveu: 

> Boa tarde Juliano, 
> 
> Boa lembran√ßa, eu havia me esquecido que o Facebook √© dividido em Perfil e Fan Pages (p√°ginas). Realmente a ado√ß√£o de fan page para a pessoa p√ļblica do vereador √© uma boa pr√°tica, mas deve-se lembrar que poder√° haver coment√°rio indesejosos nos posts da p√°gina, uma vez que √© aberto a qq pessoa curtir a fan page. N√£o sei se o Facebook oferece recurso de bloquear coment√°rio nas postagens. 
> 
> E como bem dito em seu email, a fan page traz a vantagem de que pode ter vários administradores, ou se preferi contribuidores, enquanto que o perfil é, teoricamente, de uso exclusivo do proprietário do mesmo. 
> 
> Att., 
> 
> Fabiano de Almeida. 
> 
> Em 18 de outubro de 2013 11:54, julianasoares <julianasoares em interlegis.leg.br> escreveu:
> 
> Bom dia pessoal, 
> 
> uma pergunta muito importante a ser feita quando uma pessoa p√ļblica decide entrar no facebook: Devo utilizar p√°gina ou perfil? 
> 
>> Perfil pessoal aberto para seguidores: 
> 
>>> O vereador pode criar seu perfil pessoal para manter contato com seu ciclo de amigos (ele deve adicionar apenas pessoas realmente próximas) e permitir que pessoas "sigam" este perfil pessoal, dessa forma, o vereador pode escolher se seus posts serão apenas para amigos ou para todos seus seguidores. 
> 
>>> Neste caso, o próprio vereador deverá postar e fazer toda sua comunicação. Não é interessante que outra pessoa, a não ser o próprio vereador, tenha a senha do perfil pessoal. 
> 
>> Perfil pessoal + P√°gina: 
> 
>>> O vereador pode ter seu perfil pessoal exclusivo para seus amigos próximos e familiares. Neste caso, ele pode configurar para que todos seus posts sejam exclusivos a amigos. 
> 
>>> E, al√©m do perfil pessoal, o vereador ter√° sua p√°gina para fazer propaganda pol√≠tica, contato com seu p√ļblico, divulgar seu mandato etc. 
> 
>>> O interessante de ter uma página é a possibilidade de manter uma equipe de comunicação trabalhando para você. Várias pessoas podem ser administradoras da página. 
> 
> Em relação às Casas Legislativas, é proibido a utilização de perfis. Todas as casas devem utilizar páginas. Além de ser o correto, é muito mais fácil de controlar, postar etc. 
> 
> O Interlegis tem sua p√°gina no Facebook onde divulgamos not√≠cias da Comunidade Legislativa, cursos que possam interessar aos parlamentares e servidores do Poder Legislativo, dicas de Como uma casa ou um parlamentar podem utilizar as Redes Sociais e outros assuntos, sembre buscando levar informa√ß√£o de relev√Ęncia √† Comunidade Legislativa. 
> 
> Para conhecer: www.facebook.com/InterlegisOnline [1] 
> 
> Veja as regras: https://www.facebook.com/help/217671661585622 [2] 
> 
> Como transformar um perfil em p√°gina: https://www.facebook.com/help/www/201994686510247?rdrhc [3] 
> 
> Juliana Soares 
> 
> Equipe Interlegis 
> 
> Em 18-10-2013 10:58, Fabiano de Almeida escreveu: 
> 
> Bom dia Luiz, 
> 
> Apesar de ser mais trabalhosa, eis uma boa prática a separação de perfis. Para facilitar um pouco este árduo trabalho, existem alguns serviços que replicam postagens entre várias redes, por exemplo interligar tweeter, facebook e linkedin. 
> 
> Assim ao menos só posta no máximo 2 vezes quando se quiser replicar tanto nos perfis pessoais quanto no perfis "profissionais". 
> 
> Sds, 
> 
> Fabiano. 
> 
> Em 18 de outubro de 2013 08:38, <luizcar em interlegis.leg.br> escreveu:
> 
> Tenho pra mim que, independente da mídia, somos responsáveis por tudo que escrevemos.
> Porém, pelo que sei, como o próprio nome diz, o Twitter é um microblog, ou seja um blog de postagens curtas.
> Sabemos que um blog é nada mais que um diário pessoal publicado via internet acessível para aqueles que, anteriormente, pediram para "seguir" o autor.
> Ent√£o, o importante √© manter sempre a coer√™ncia sobre o conte√ļdo das mensagens, para que o "seguidor" tenha a exata no√ß√£o sobre o que pode esperar do emissor, seja ele uma figura p√ļblica ou n√£o.
> No caso do parlamentar, é preciso discernir sobre o seu papel institucional, para que este não se confunda com a sua atividade político-eleitoral.
> Sugiro que se separem esses aspectos, criando dois perfis diferentes nas redes virtuais: um para as a√ß√Ķes enquanto parlamentar, agente p√ļblico, e outra enquanto pessoa comum (que n√£o pode fazer campanha fora de √©poca). D√° mais trabalho, mas evita problemas com a Justi√ßa Eleitoral. 
> 
> Em 17/10/2013 21:59, Fabiano de Almeida escreveu: 
> 
> Boa noite Luiz,
> 
> A postagem me recorda um texto que li a 2 anos sobre postagens em redes socias, no caso foi o twitter. Naquele texto o autor comenta duma entrevista de emprego cujo empregador pergunta-lhe de uma postagem antiga do autor no microblog usando termos de baixo cal√£o difamando um time de futebol. Em resposta o autor fala que o perfil no twitter √© pessoal e isto n√£o inferia com a entrevista, ao que o empregador respondeu-lhe que, como figura p√ļblica (jornalista), h√° a possibilidade de algu√©m buscar as publica√ß√Ķes do autor e coloc√°-lo em situa√ß√£o bastante dif√≠cil. 
> 
> Em 8 de outubro de 2013 08:30, <luizcar em interlegis.leg.br> escreveu:
> 
> Pessoal, 
> 
> Durante a palestra que apresentei na Escola do Legislativo da C√Ęmara de Uberl√Ęndia, no dia 26/09, uma colega, assessora da vereadora Gl√°ucia da Sa√ļde, perguntou o que pode e o que n√£o pode ser publicado nos perfis de vereadores nas m√≠dias sociais.
> Como n√£o sou especialista nessa √°rea, disse que iria pesquisar e dar uma resposta depois.
> Ainda não tenho uma, mas orientei que é preciso ter bom senso em separar o vereador pessoa que tem seus relacionamentos pessoais e sociais, do vereador representante de uma parcela da população na discussão e encaminhamento dos assuntos e demandas que afetam a todos. 
> 
> Pergunto: o que você acha disso? 
> 
> Pra começar a conversa, sugiro a leitura da matéria no link _HTTP://WWW.PRAGMATISMOPOLITICO.COM.BR/2013/09/PRESO-COMENTARIO-FACEBOOK.HTML [4]_, mostrando que a publicação - em qualquer meio - de determinadas coisas pode levar até à prisão e processo na justiça. 
> 
> Um abraço. 
> 
> Luiz Carlos - Interlegis/ILB/Senado 
> --
> Site da Comunidade GICOM:
> http://colab.interlegis.leg.br [5]
> 
> Regras de participação:
> http://colab.interlegis.leg.br/wiki/ComoParticiparComunidade [6]
> 
> Para pesquisar o histórico da lista visite:
> http://colab.interlegis.leg.br/wiki/PesquisaListas [7]
> 
> Para administrar ou excluir sua conta visite:
> http://listas.interlegis.gov.br/mailman/listinfo/gicom [8]

-- 
Fabiano de Almeida 
C.M. Telêmaco Borba - PR 

--
Site da Comunidade GICOM:
http://colab.interlegis.leg.br [5]

Regras de participação:
http://colab.interlegis.leg.br/wiki/ComoParticiparComunidade [6]

Para pesquisar o histórico da lista visite:
http://colab.interlegis.leg.br/wiki/PesquisaListas [7]

Para administrar ou excluir sua conta visite:
http://listas.interlegis.gov.br/mailman/listinfo/gicom [8] 

-- 
Fabiano de Almeida 
C.M. Telêmaco Borba - PR 

--
Site da Comunidade GICOM:
http://colab.interlegis.leg.br [5]

Regras de participação:
http://colab.interlegis.leg.br/wiki/ComoParticiparComunidade [6]

Para pesquisar o histórico da lista visite:
http://colab.interlegis.leg.br/wiki/PesquisaListas [7]

Para administrar ou excluir sua conta visite:
http://listas.interlegis.gov.br/mailman/listinfo/gicom [8] 

-- 
Fabiano de Almeida 
C.M. Telêmaco Borba - PR 



Links:
------
[1] http://www.facebook.com/InterlegisOnline
[2] https://www.facebook.com/help/217671661585622
[3] https://www.facebook.com/help/www/201994686510247?rdrhc
[4]
http://www.pragmatismopolitico.com.br/2013/09/preso-comentario-facebook.html
[5] http://colab.interlegis.leg.br
[6] http://colab.interlegis.leg.br/wiki/ComoParticiparComunidade
[7] http://colab.interlegis.leg.br/wiki/PesquisaListas
[8] http://listas.interlegis.gov.br/mailman/listinfo/gicom
-------------- Průxima Parte ----------
Um anexo em HTML foi limpo...
URL: http://listas.interlegis.gov.br/pipermail/gicom/attachments/20131022/b060c948/attachment.htm 


Mais detalhes sobre a lista de discuss„o GICOM