[gicom] Pedro Cardoso critica a má qualidade do conteúdo da chamada "mídia de massa" brasileira

Hélio Teixeira heliolteixeira em gmail.com
Domingo Fevereiro 7 17:58:09 BRST 2010


Hoje em dia, são muito poucos os programas que me estimulam
intelectualmente e/ou emocionalmente na TV brasileira. Uma raríssima
exceção é o Programa Sem Censura, da TVE Brasil. Apresentado
diariamente, ao vivo, pela jornalista Leda Nagle. O Sem Censura é um
verdadeiro oásis no mar de mediocridade e futilidades que inunda a
programação da televisão brasileira atualmente.

Ontem, por acaso, assisti a reprise do programa apresentado no dia
17/09/2009. Um dos entrevistados do programa daquele dia foi o ator
Pedro Cardoso, o Agostinho do Programa “A Grande Família” da Rede
Globo de Televisão (outro programa que ainda sinto prazer em assistir
pela grande competência do elenco e pela ótima qualidade do humor).
Confesso que me surpreendi com a entrevista. A lucidez e o
brilhantismo das ideias desse ator fenomenal (para mim, um dos
melhores atores do mundo!), me fizeram refletir sobre muita coisa.

Durante a conversa, Pedro Cardoso fala sobre a “indústria da fofoca”
(uma das piores pragas da comunicação brasileira atual) que transforma
em produto a vida pessoal dos famosos, espetacularizando e
comercializando a vida íntima das pessoas. “Essa indústria matou a
Princesa Diana…”, afirmou o ator, numa alusão à morte da Princesa
Diana que morreu nas ruas de Paris tentando escapar do assédio dos
chamados “paparazzi”.

Outro assunto abordado por ele nesta entrevista, é o que ele chama de
“pornografia disfarçada” que, segundo ele, é praticada por quase todos
os grandes veículos de comunicação e entretenimento brasileiros. “A
pornografia está tão dissimulada em nossa cultura que não a
reconhecemos como tal. Hoje qualquer diretor, medíocre ou não, se acha
no direito de determinar que uma atriz possa ficar pelada numa cena ou
parcialmente despida”, disse, ressaltando, indiretamente, que os
diretores da TV Globo também apelam para a “pornografia” televisiva.

“É frequente que cineastas de primeiro filme exibam para seus amigos
em sessão privê as cenas privadas que conseguiu de uma determinada
atriz”, acusa. “Quando os atores se recusam a fazer nudez, os
diretores ficam bravos e fazem malcriações, como crianças mimadas,
porque se consideram no direito a ela”.

Os argumentos utilizados por ele além de brilhantes e maravilhosamente
instigantes, são absolutamente corretos. É ótimo poder ver uma crítica
tão consciente e dura, de um ator contrado pela maior e mais poderosa
emissora de TV do país, e poder perceber que ainda há quem se indigne
tanto quanto nós com o baixíssimo nível do conteúdo da chamada “mídia
de massa” brasileira.

Assistam a entrevista (dividida em quatro partes) e confiram que além
de um grande ator, esse tal de Pedro Cardoso é também um grande cara.
Simplesmente imperdível!!!

Assistam a entrevista na íntegra em:
http://comunicacaochapabranca.com.br/?p=9944

-- 
Hélio Teixeira
http://ComunicacaoChapaBranca.com.br
Twitter: http://twitter.com/helioteixeira ou
http://twitter.com/chapabranca


Mais detalhes sobre a lista de discussão GICOM