[gicom] RES: Campanha para ampliação das comunidades

Hélio Leite Teixeira heliolteixeira em gmail.com
Terça Junho 2 16:01:29 BRT 2009


Grande James,

Muito oportuna a sua observação. Pelo que eu conheço do seu trabalho,
não tenho dúvidas quanto a qualidade do PE de Marketing que você está
elaborando.

A minha intervenção nesta discussão foi no sentido de, primeiro,
alertar para a necessidade de discutir a estratégia de comunicação do
Programa ANTES de qualquer ação de comunicação, não faz sentido
iniciarmos uma campanha (seja ela qual for) se não traçarmos um rumo
antes.

E segundo, acredito que se a discussão deste plano acontecesse TAMBÉM
dentro do GICOM, nós começaríamos a resolver o problema apontado por
você (que eu também concordo!!!) de pouca participação na Comunidade.
Seria uma oportunidade de ouro para fortalecer a nossa Comunidade.

Só para lembrar, o crescimento do GITEC se deu em grande parte graças
a participação ativa desta Comunidade na elaboração dos produtos e
serviços de TI do Interlegis.

Lembro como se fosse hoje, de um email do Grande Ciciliati (no já
longínquo ano de 2004), solicitando a opinião de todos os membros do
Gitec sobre os rumos que o SAPL deveria seguir. Quais as
funcionalidades mais importantes, quais os recursos deveriam ser
priorizados, etc...

Essa idéia de co-responsabilidade sobre os produtos e serviços de TI
que se criou dentro da Comunidade Gitec, foi uma das principais razões
para que ela tivesse alcançado a tão sonhada "massa crítica". Já em
2004, os membros do Gitec se transformam em "prosumers", a metáfora
criada por  Don Tapscott e Anthony D. Williams para uma nova era de
colaboração e participação, onde os consumidores dos produtos são
também produtores dos mesmos. (Detalhe, a expressão 'prosumers" nasceu
no livro Wikinomics: How Mass Collaboration Changes Everything,
publicado dois anos depois do email do Ciciliati, em 2006 rsrsrsrs).

Essa é idéia que estou defendendo, transformar os membros do GICOM,
sejam eles quantos forem, em co-responsáveis pelo planejamento da
comunicação do programa. Acredito que este seja o melhor caminho para
fortalecermos a Comunidade.

O dilema que enfrentamos aqui é o mesmo do jovem desempregado. Não
arruma emprego por não tem experiência comprovada, e não tem
experiência por não conseguir arranjar um emprego.

Por isso acredito que esta é a hora de trazer as Comunidades do
Interlegis para o centro das discussões. Ouvir as pessoas que estão na
ponta do processo. Dar voz a elas e fazer com que elas se sintam
co-responsáveis pelos destinos do Programa. Todos nós só temos a
ganhar com isso.

Grande abraço e quando vir a Maceió não esqueça de comer aquela ostra
que você gostou tanto. rsrsrsrsrs

Hélio Teixeira
ALE/AL



2009/6/2 James R. Menezes de Carvalho <jamescarvalho em interlegis.gov.br>:
> Prezado Helio, antes de mais nada um grande abraço.
> Como sempre muito didático e competente.
> Concordo plenamente com as suas observações.
> Entretanto, devemos dividir as duas situações. A primeira, diz respeito à mensagem do Jean quanto ao incentivo ao aumento e participação nas Comunidades e a segunda, o Plano Estratégico.
> Vou começar pela segunda.
> Desde que cheguei ao Interlegis, venho batalhando pela elaboração do PE de Marketing. Para informação de toda a comunidade, acho que agora vai sair. No planejamento do Interlegis II foi incluído e no PRODOC (Documento de projeto) está prevista a elaboração do PE de Marketing (com recursos alocados) e prevendo uma série de encontros presenciais da comunidade de comunicação e, também, discussão pela lista.
> Já estou preparando o Termo de Referência para a contratação de uma empresa especializada para desenvolvimento dos trabalhos. Tenho em mente que não podemos desenvolver nada sem a colaboração e participação do GICOM.
> Entretanto, observamos que o GICOM (e as demais comunidades) ainda apresentam um número de participantes relativamente pequeno (tanto em quantidade quanto em participação efetiva / troca de idéias e informações) quando se trata de Legislativo brasileiro. Aí, surge a primeira situação.
> Após a criação da Comunidade Interlegis, a área técnica nos procurou (SSFAC) para preparar uma campanha voltada para aumento da "massa crítica" nas comunidades. A Julianna está preparando uma "boneca" do projeto, com algumas ações de curto prazo voltadas, em um primeiro momento, para aumentar o número de componentes das comunidades (precisamos definir uma meta, ou seja, quanto queremos crescer nos próximos 03 meses? - aceitamos sugestões), em uma segunda fase pretendemos "cutucar" aqueles que "estão" na comunidade mas, no entanto, não participam "das discussões".
> Entendemos que com o aumento da "massa crítica" e da participação qualquer ação desenvolvida a partir daí passa a ter maior respaldo da comunidade e ressonância no legislativo, inclusive o Plano Estratégico de Marketing.
> Vamos conversar mais.
> Um forte abraço.
>
> James R. M. de Carvalho
> Subsecretaria de Formação e Atendimento à Comunidade do Legislativo - SSFAC
> (061) 3311.2634
>
> -----Mensagem original-----
> De: gicom-bounces em listas.interlegis.gov.br [mailto:gicom-bounces em listas.interlegis.gov.br] Em nome de Hélio Leite Teixeira
> Enviada em: terça-feira, 2 de junho de 2009 14:44
> Para: Grupo Interlegis de Comunicação
> Cc: Comunidade do Poder Legislativo
> Assunto: Re: [gicom]Campanha para ampliação das comunidades
>
> Amigo Jean,
> A sua idéia é fantástica e deve ser abraçada por todos nós com o espírito semelhante ao de mutirão. Onde todos são atores e cúmplices da ação.
>
> Vou aproveitar a sua deixa para lançar uma discussão muito importante e que deve preceder as ações sugeridas por você em sua mensagem. Antes de discutir ações e/ou campanhas de comunicação é preciso discutir o futuro da Comunicação do Interlegis. Se não sabemos aonde queremos ir não chegaremos em lugar algum.
>
> A idéia aqui é AJUDAR os profissionais de comunicação e os gestores do Programa. Quero tratar da questão por um ponto de vista pouco abordado até aqui, a chamada visão "da ponta do processo", trazer um olhar "de fora" para a questão, apesar de me considerar uma pessoa "de dentro", pois além de ser um assíduo colaborador do Programa, sou também um usuário dos produtos e serviços do Interlegis.
>
> Quero compartilhar com todos vocês um pouco do que penso sobre o tema e ao mesmo tempo, baseado em minha experiência como profissional de comunicação, apontar caminhos e soluções para superarmos alguns desafios que se apresentam neste momento.
>
> O primeiro ponto que desejo abordar é a questão do Planejamento de Comunicação do programa. A ausência de um planejamento de comunicação adequado na primeira fase projeto, trouxe conseqüências negativas para o Programa como um todo. Desde o planejamento da oferta de valor até na forma como o programa é visto pelo seu target.
>
> Você pode estar me perguntando. Por que é tão importante ter um bom planejamento de Comunicação?  Para não me estender muito em minha resposta, pois o assunto renderia mais de um livro, vou me ater apenas ao aspecto prático da questão.
>
> É através do Planejamento de Comunicação que qualquer organização planeja a sua oferta de valor - materializada nos seus produtos e serviços - para os seus públicos. É através do Planejamento de Comunicação que geramos as expectativas (a promessa de valor) na cabeça do nosso target. E aqui está um ponto crucial, se gerarmos as expectativas erradas nas cabeças dos nossos clientes, expectativas que não podemos atender, fatalmente iremos frustrá-los, e conseqüentemente, não alcançaremos os nossos objetivos organizacionais.
>
> No caso do Interlegis, essa mensagem errada trouxe conseqüências nefastas para a própria marca Interlegis. O conceito mais moderno de marca aponta para três aspectos ou processos que acontecem na cabeça dos clientes, e que resultam na imagem de uma marca. O primeiro aspecto é o do diálogo, uma marca é um diálogo constante, portanto, é preciso saber o que dizer. O segundo aspecto é o da promessa de valor, é preciso planejar e comunicar cuidadosamente a oferta de valor da organização, evitando promessas e/ou mensagens irreais. O terceiro aspecto é o da experiência, a imagem que os clientes constroem em nossas cabeças sobre determinada marca, é fruto das experiências que eles têm temos com os produtos e serviços oferecidos (ou prometidos) pela marca.
>
> Pois bem, o Interlegis precisa planejar a sua Comunicação. Para com isso, gerenciar e reposicionar a sua marca na cabeça dos seus clientes. Apagar a imagem paternalista construída pelas adesões "compradas" das casas legislativas na fase Um, para uma imagem de fomentador da modernização, de parceiro do Legislativo no seu caminho da modernização. (Ouçam o Podcast que publicamos sobre o tema:
> http://comunicacaochapabranca.com.br/?p=6033)
>
> O bom de tudo isso é que o Interlegis já dispõe de todas (ou quase
> todas) as informações e recursos necessários para a realização de um Plano de Comunicação, todas as informações já estão disponíveis nos dados apurados no I CENSO DO LEGISLATIVO.
>
> Explico, de forma resumida e direta, para se comunicar eficazmente, é preciso identificar uma necessidade; priorizar o que for mais importante; decidir o que deseja comunicar; torná-lo pertinente para a audiência e depois repetir, repetir...
>
> Normalmente a fase mais difícil é a primeira, a identificação da necessidade. No mundo privado as empresas gastam fortunas com pesquisas e mais pesquisas para entenderem o que se passa na cabeça dos seus clientes. O Interlegis não tem esse problema, pois a resposta para todos (ou quase todos) os questionamentos necessários à execução do Plano de Comunicação, já estão disponíveis no I Censo do Legislativo, conduzido com maestria pela querida Telma Veturelli e pelo competentíssimo José Dantas (diretor do Interlegis).
>
> Isso mesmo, o Interlegis possui algo que nenhuma outra organização tem. O Interlegis tem em suas mãos, um raio-x completíssimo de toda a estrutura de organizacional, estrutural, política e material de todos os seus clientes.
>
> Através dos dados do Censo é possível identificar até quantos e quais clientes estão distribuídos dentro do que chamamos de espectro do relacionamento.  Explico, toda a Organização (o Interlegis inclusive) tem os seus clientes distribuídos ao longo de um espectro, que vai desde aqueles clientes potenciais que não conhecem os nossos produtos e serviços (as vezes até desconhecem a existência da Organização), passa por aqueles que conhecem e não utilizam, e vai até o outro extremo povoado por aqueles que conhecem, utilizam e são "evangelizadores" dos produtos da Organização. Para cada posição neste espectro é necessário enviar uma mensagem distinta, e vocês sabem onde definimos todas essas questões? No Plano de Comunicação.
>
> Para concluir, repito, é preciso elaborar um Plano de Comunicação para o Interlegis, um Plano de Comunicação que tenha como foco principal o fortalecimento daquilo que nós temos de mais valioso, as nossas comunidades. E tenho certeza, não existe lugar melhor para discutir isso, do que aqui no GICOM.  Como a maioria aqui, eu tenho um monte de idéias e sugestões que podem ser úteis neste processo. Mas antes mais nada é preciso iniciarmos o debate e, em minha opinião, este é o momento ideal para fazermos isso.
>
> Grande abraço,
> --
> Hélio Leite Teixeira
> Assembléia Legislativa de Alagoas
> Acesse o http://ChapaBranca.com
>
>
>
> 2009/6/2 Jean Rodrigo Ferri <jeanferri em interlegis.gov.br>:
>> Olá pessoal,
>>
>> Nos últimos dias estamos discutindo sobre a ampliação das Comunidades
>> Interlegis. A comunicação do Interlegis está começando a esboçar um
>> projeto cujo objetivo é trazer novos participantes para as 4 listas
>> atuais (GICOM, GITEC, GIAL e Interlegis), e nós, da tecnologia, estamos
>> trabalhando nos ambientes wiki para apoiar as práticas dessas comunidades.
>>
>> Nesta lista GICOM estão presentes todos os membros do setor de
>> comunicação do Interlegis, membros de várias Casas Legislativas, além de
>> cidadãos interessados. Por esse motivo gostaríamos de trazer esta
>> discussão para cá, para que o GICOM possa ajudar o Interlegis a planejar
>> como atingir esse objetivo de ampliação das comunidades.
>>
>> A Julianna Silva poderá dar mais detalhes sobre algumas ferramentas que
>> o Interlegis dispõem para essa ampliação, mas gostaríamos de saber quais
>> as estratégias de comunicação que vocês acham importantes para
>> atingirmos esse objetivo?
>>
>> Abraço,
>>
>> --
>> Jean Ferri
>> Analista de Sistemas
>> Programa Interlegis - Brasília (DF)
>> *Esta mensagem foi enviada pelo software livre Mozilla Thunderbird*
>> --
>> Site da Comunidade GICOM
>> http://colab.interlegis.gov.br
>>
>> Para pesquisar o histórico da lista visite:
>> http://colab.interlegis.gov.br/wiki/PesquisaListas
>>
>> Para administrar sua conta visite:
>> http://listas.interlegis.gov.br/mailman/listinfo/gicom
>>
> --
> Site da Comunidade GICOM
> http://colab.interlegis.gov.br
>
> Para pesquisar o histórico da lista visite:
> http://colab.interlegis.gov.br/wiki/PesquisaListas
>
> Para administrar sua conta visite:
> http://listas.interlegis.gov.br/mailman/listinfo/gicom
>
>
> --
> Site da Comunidade GICOM
> http://colab.interlegis.gov.br
>
> Para pesquisar o histórico da lista visite:
> http://colab.interlegis.gov.br/wiki/PesquisaListas
>
> Para administrar sua conta visite:
> http://listas.interlegis.gov.br/mailman/listinfo/gicom
>



-- 
Hélio Leite Teixeira
Assembléia Legislativa de Alagoas
Acesse o http://ChapaBranca.com


Mais detalhes sobre a lista de discussão GICOM