[gial] RES: Pela UNIÃO da Comunidade

Kelly Soares kellyconsultoria em hotmail.com
Segunda Maio 3 09:23:30 BRT 2010


Bom dia a todos!
Em especial ao Róbison, que postou a mensagem que 
passo a comentar. 

É realmente lamentável que as coisas tenham 
chegado a esse ponto. E, lendo mensagens outras relativas a esse mesmo 
assunto, me alegra o fato de estar sendo tomada alguma providência para a
 salvaguarda dessa comunidade, pois do contrário, vejo que ela deixará 
de existir. Lamento a decisão do Robison, apesar de compreensível, pois 
também será a minha se as coisas continuarem do jeito que estão. E, isso
 por uma razão muito simples! Claramente existem divergências de 
objetivos postos nessa comunidade. 

Como alguns colegas bem 
lembraram aqui, os objetivos de criação e existência do GIAL não é o que
 temos acompanhado. 
E, faço um parêntese para replicar citações de 
um colega da lista, conforme segue: 


"E devem estar se perguntando. O que esse pessoal entende de orçamento  

e gestão? O que eles querem afinal se metendo por aqui? Por que toda  

essa pressão? Damos a mão e querem o braço? Não vamos responder mais  

nada pra ver se os chatos vão embora. Quem teve a infeliz idéia de  

abrir esse canal aos estudantes?"

 
Não que a idéia da abertura desse canal aos estudantes tenha sido infeliz. Na verdade, eu particularmente nunca tive esse sentimento. 
Mas, confesso achar infeliz, a idéia da liderança desse grupo se motivar por coisas tão divergentes das que motivaram a criação 
do próprio grupo. 
Vejo que na prática, essa poderia ser uma experiência muito proveitosa para todos os envolvidos. Ganharia o grupo GIAL com a participação 
dos alunos e do professor, quando seu objetivo é a discussão de assuntos ligados ao processo legislativo. Assim, as Casas Legislativas, 
que padecem de grupo de assessoria capacitado, contaria com o auxílio da lista para grandes discussões. Do mesmo modo, todos nós, 
com as discussões e trocas de idéias ganharíamos, porque como todo processo, o legislativo é dinâmico e exige constante estudo e 
aperfeiçoamento. Ganhariam os estudantes numa postura de praticar o que lhes traz o ensinamento acadêmico e o professor, por proporcionar
aos seus alunos uma efetiva participação em algo real e sólido durante o período de graduação. 
Nesse contexto, não vejo a situação como "damos a mão e querem o braço", porque entendo que ninguém deu nada. O ingresso no grupo é 
aberto e público. Mas, como para se entrar em qualquer lugar público, há regras, há princípios.
E o que lamento é que não os vejo respeitados por esse grupo. Já disse e reforço: esse espaço não é para os ataques, para as insinuações, 
para as inquisições infundadas ou para o exercício do controle social. Não mesmo!!!
Vejam a exemplo do que paralelamente a esse assunto vem sendo postado sobre a questão do projeto de comunicação do Interlegis. 
O amigo Hélio se mostrou indignado com o silêncio e o fez abertamente. Da mesma forma, o James se posicionou abertamente e pontuou sua versão
dos fatos. Mas, em nenhum momento houve insinuação, provocação, ironia ou coisa do gênero. E acredito, por conhecer ambos os protagonistas
dessa outra discussão, que se alguma aresta ficar, ela será aparada na maior diplomacia possível, porque é comum essa prática em nosso
meio. É assim que as comunidades como o Interlegis crescem e se fortalecem. 
Ao contrário, vejo aqui no GIAL uma evidente disputa e um antagonismo que não quer calar. Não se trata de respeito à opinião alheia! 
De minha parte, trata-se de exigir respeito aos fundamentos da comunidade GIAL, que de longe passam pelo controle social. E, antes que o 
insinuem, não sou contra o controle social, pelo contrário, sou incentivadora deste. Mas, até para o execercício do controle social
assim como para o exercício de qualquer outro direito, é preciso antes de tudo, responsabilidade e respeito. E, não vejo isso por parte 
do grupo que defende essa prática. 
Em email recente, o professor trouxe novamente com ares de insinuação e provocação, link de notícia do TCU.
Se os colegas, assim como eu, seguiram o link para ver ao que se referia o professor, se depararam com uma notícia de investigação iniciada 
pelo MInistério Público, referente ao censo realizado pelo Interlegis na administração anterior. 
Será que isso, por si só, não explica a realização de novo censo? Será que os colegas não se lembram de no II Encontro GITEC, o Robison,
em se pronunciamento, ter mencionado algo sobre a necessidade de revisão de algumas programações, porque se mostram inadequadas?
E ainda que não tenham visto ou percedibo nada disso, será que o próprio professor não leu a notícia antes de fazer a insinuação?
Gente, esse clima de denuncismo é, além de sério, muito chato e inapropriado. 
Portanto, faço essas considerações, para, apesar de lamentável reforçar o que já disse sobre essa lista: Se realmente não for tomada nenhuma 
providência, eu também me desligarei, porque não pretendo "perder meu tempo" discutindo provocações e assistindo a prática de um
controle social feito de forma tão irresponsável. Por uma razão única: Estou nessa comunidade para SOMAR, assim como deveriam ter vindo todos
os demais. Não para DIVIDIR. Não para DIMINUIR. O objetivo buscado é a soma, é o fator multiplicador das ações Interlegis que são, 
sem sombra de dúvida, imensas no país inteiro e fora dele. 

Forte abraço a todos

Kelly 





Kelly
 Cristina O. Soares 

 		 	   		  
_________________________________________________________________
O seu navegador também te ajuda a ficar longe de vírus. Leia mais sobre segurança.
http://www.microsoft.com/brasil/windows/internet-explorer/?WT.mc_id=1500
-------------- Próxima Parte ----------
Um anexo em HTML foi limpo...
URL: <http://listas.interlegis.gov.br/pipermail/gial/attachments/20100503/4138d542/attachment.html>


Mais detalhes sobre a lista de discussão GIAL