[gial] Res: Dúvida

rcastanho em usp.br rcastanho em usp.br
Sexta Maio 15 20:06:49 BRT 2009


Boa noite pessoal,


Gostaria de parabenizar os idealizadores desta lista e agradecer a  
inclusão de meu correio nela.

Como é a primeira vez que escrevo, gostaria de me apresentar. Meu nome  
é Rodrigo e curso o 7º semestre de Gestão de Políticas Públicas na  
USP. Estou iniciando meu TCC que irá avaliar os impactos da LRF nas  
despesas de pessoas e na dívida pública dos municípios, o objetivo é  
avaliar se esses dois itens da LRF estão sendo cumpridos pelos  
municípios e a que custo.

Sendo assim, me interesso profundamente por este tema que está sendo  
discutido. Compactuo com todos os que escreveram até o momento, o  
dinheiro público tem que ser gerido de forma a otimizar os recursos de  
todas as formas possíveis.

No referido caso, concordo com a aplicação do dinheiro, embora  
investimentos de risco em renda variável sejam proibidos por lei, a  
legislação permite a aplicação em renda fixa, em alguns casos  
específicos de acordo com a Lei Orgânica municipal em aplicações de  
renda fica com lastro em títulos públicos.

Algumas dessas aplicações garantes uma rentabilidade razoável até  
mesmo por curtos prazos, questão de dias, possibilitando assim que  
qualquer recurso em trânsito pelo caixa da Câmara renda resultados  
para o poder público.

Os principais órgãos públicos no Brasil cotam taxas com os principais  
bancos, já que pela Medida Provisória 2.192 todos as instituições  
financeiras que adquiriram um banco público são oficiais, até 2012.  
Isto garante a livre concorrência dos bancos para oferecer a melhor  
rentabilidade para os órgãos públicos.

Quanto a "obsessão" por enxugar os gastos do legislativo, não vejo  
problema algum, desde que cortem os frequentes excessos e não percam a  
qualidade na prestação nos serviços.


Abraço,
Rodrigo V. Castanho de Almeida"
7º Semestre - GPP/ USP




Mais detalhes sobre a lista de discussão GIAL